O Estado de S. Paulo

  • 0

O Estado de S. Paulo

Category : Notícias

Para depois? (Coluna do Broadcast – Aline Bronzati, Cynthia Decloedt e Fernanda Guimarães):

Após a falta de consenso em seu Conselho de Administração, a Cemig colocou em compasso de espera a oferta de ações da Light. A companhia já havia contratado os bancos de investimento para a realização de sua oferta subsequente (follow on), no segundo semestre do ano. A operação era com esforços restritos – direcionada para investidores qualificados – e os bancos já haviam iniciado as primeiras conversas, ainda informais, com potenciais compradores.

Dificuldades. A Light já vinha enfrentando dificuldades para conseguir realizar a venda de ações. A assembleia extraordinária de acionistas convocada para deliberar sobre mudanças no estatuto que permitiriam a execução da oferta não foi realizada por falta de quórum. Uma das mudanças propostas, a inclusão de uma cláusula específica para criar a obrigação de realização de oferta pública de aquisição (OPA) caso algum acionista obtenha 25% do capital da empresa, tinha sido contestada por um conselheiro independente.

Ele considerou a ideia contrária aos interesses dos acionistas não controladores.


Leave a Reply